Uma mulher, quando silencia, acordou para si

 In Sem categoria
Texto de Ivonete Rosa | @ivoneterosa.escritora

Uma mulher, quando silencia, acordou para si

Quando uma mulher faz barulho, quer ser ouvida. Ela mostra o quanto se importa com a relação. Ajustar o que está fora de ordem é o desejo dela. Então, ela vai falar incansavelmente, vai esbravejar, vai dizer coisas das quais poderá se arrepender depois, mas, uma coisa é fato, a intenção dela é proteger a relação.

É o oposto da mulher que silenciou. Neste caso, ela já argumentou exaustivamente com o parceiro. Ela já esgotou todos os recursos que dispunha tentando colocar a relação nos trilhos. Agora, para ela, tanto faz. O silêncio dela é a tradução da mais completa indiferença. Alguém disse que, ao contrário do que se pensa, o oposto do amor não é o ódio, é a indiferença. Isso faz todo o sentido.

O silêncio de uma mulher diz muito, grita. Grita aos quatro cantos que já se deu conta de que não foi valorizada o suficiente pelo parceiro e que não aceita mais essa situação. Esse silêncio berra que ela não está mais disposta a receber migalhas em troca do amor da melhor qualidade que ela oferece. Ela está cansada de dar murros em ponta de faca.

Em silêncio, ela diz basta ao descaso, às traições, à falta de consideração, à falta de cumplicidade, à falta de companheirismo. Ela acordou para a vida, acordou para si.  Agora ela está focada em se observar, se proteger e se perdoar por toda a dor que sofreu com o consentimento dela, de certa forma.

Quieta, ela diz em alto e bom tom: ‘me cansei de lançar pérolas aos porcos’. Ela, que sempre ficou em último plano na lista de prioridades, agora passa a ocupar o primeiro lugar. O silêncio dela é estratégico, é uma forma de poupar energia para o que realmente vale a pena. Ela está olhando para dentro de si, se conectando com as vontades reprimidas. Tudo agora será feito em prol do próprio resgate, isso é um caminho sem volta.

Quieta, ela diz em alto e bom tom: ‘me cansei de lançar pérolas aos porcos’. Ela, que sempre ficou em último plano na lista de prioridades, agora passa a ocupar o primeiro lugar. O silêncio dela é estratégico, é uma forma de poupar energia para o que realmente vale a pena. Ela está olhando para dentro de si, se conectando com as vontades reprimidas. Tudo agora será feito em prol do próprio resgate, isso é um caminho sem volta.

Foto de capa: Pixabay / insta da autora: ivoneterosa.escitora

Posts Recentes

Deixe um Comentário