Quem não cura as feridas, sangra em cima de quem não merece

 In Comportamento, Psicologia, Reflexão/Espiritualidade, Relacionamento
Texto de Ivonete Rosa | @ivoneterosa.escritora

Quem não cura as feridas, sangra em cima de quem não merece

Vejo pessoas sangrando, pelas mais variadas razões, buscando um relacionamento para anestesiar suas dores. Todos os dias eu me deparo com essa realidade, seja pessoalmente, ou pelas mensagens que recebo dos meus leitores e leitoras. Me acostumei a ler e ouvir: “Ai, Ivonete, eu preciso encontrar alguém para esquecer fulano(a)”.

Acontece de a pessoa estar toda ferida, sem nenhuma imunidade emocional, e com a autoestima destroçada; em suma, uma pessoa com motivos de sobra para buscar ajuda, para aquietar-se, para repensar os motivos de tantas escolhas destrutivas. Ao invés disso, essa pessoa decide buscar um relacionamento, com a compreensão equivocada de que o outro será a cura para as suas dores e o complemento do que lhe falta.

Acontece de alguém ferido iniciar um relacionamento sem nenhuma condição para isso, mesmo sem ter o que oferecer. E vale salientar: quanto mais fragmentada a pessoa estiver, mais ela vai exigir do outro, até porque ela espera que o outro seja a sua tábua de salvação. A expectativa dela é que o outro a faça sentir-se completa, afinal, ela não quer entrar em contato com as raízes das suas dores, ela quer uma anestesia em tempo integral.

Nessa dinâmica, temos todos os ingredientes para uma relação doentia. Pois o outro, por mais que esteja bem-intencionado e inteiro, não vai conseguir arcar com essa demanda emocional tão complexa que esse parceiro ferido traz na bagagem. Desenhando aqui: a pessoa vai sentir-se asfixiada, e pior, nada do que ela oferecer será reconhecido, nada será suficiente porque o ferido não se sente digno de ser amado, porque ele tem um péssimo conceito de si mesmo. Sem autoestima, o amor do outro não é recebido, não surte efeito nenhum.

Não existe nada mais desgastante do que se relacionar com alguém que não se sente digno do amor que recebe. É algo muito perturbador. Você faz tudo o que pode, mas a pessoa estará sempre à procura de algo para te acusar, é como estar numa areia movediça.

A pessoa que não curou as próprias feridas, vai sair sangrando por aí e, consequentemente, fazendo novos feridos.

Foto de capa: Pixabay – Insta da autora: @ivoneterosa.escritora

Posts Recentes

Deixe um Comentário